quarta-feira, 22 de julho de 2009

A Insustentável Leveza do Ser

Lá vou eu falar de livro novamente. Mas sempre que chove lembro-me de um trecho de um livro que li há uns dois anos. Porque o livro além de ser fascinante, foi escrito em 1984 e não se percebe muita diferença com os dias de hoje.


"As pessoas se apressavam, levantando sobre a cabeça o guarda-chuva aberto; de repente formava-se um tumulto na calsada. Os homens eram amáveis, e passando perto de Tereza, levantavam o guarda-chuva mais alto para abrir-lhe espaço, mas as mulheres não se afastavam um milímetro. Olhavam em frente, com o rosto duro, cada uma esperando que a a outra se confessasse fraca e capitulasse. O encontro dos guarda-chuvas era uma prova de força. No começo, Tereza se afastava, mas quando compreendeu que sua cortesia jamais era retribuída, seguiu em exemplo as outras, passando a empurrar com mais força o guarda-chuva. Por muitas vezes seu guarda-chuva esbarrou violentamente no da frente, mas nunca se ouvia um pedido de desculpa. Em geral ninguém abria a boca; duas ou três vezes, porém, ouviu: "Puta!" ou "Merda!"." (A Insustentável Leveza do Ser - Milan Kundera)

Um comentário:

  1. Sim, te dei link também. Desculpa a demora por responder.
    Bom... eu já tinha lido esse trecho em algum lugar, e foi algum lugar teu, ahahaha :) :****** Bela!

    ResponderExcluir